quinta-feira, 30 de abril de 2015

Troca de casinha , de novo .....



Enfrentamos bem a chuva do carnaval lá no Tia Lola , mais marido sismou que a barraca estava torta, em conversa com um casal campista no carnaval foi nos dito que qualquer e menor problema que a barraca tivesse que a Decatlon trocaria .
Então marido que já estava de olha em uma Arpenaz Family 4.1 da Quechua , juntou o útil ao agradável e depois de passar quase 1 mês entrando no site para ver se a barraca estava disponível , em uma bela tarde ligamos na Decatlon do Morumbi aonde nos informaram que tinha a bendita barraca , então fomos até la , eu enlouqueço na Decatlon , este lugar é simplesmente incrível ..... Pior é querer comprar tudo e não poder. Salve-se quem puder.
A nossa barraca Quechua T.4 Essential , estava ótimo para nós , e para o nosso objetivo nas acampadas.
Mais marido queria porque queria trocar a barraca , por está Arpenaz Family 4.1 da Quechua .

                                                         Arpenaz Family 4.1 Quechua

Vou admitir que eu também queria trocar , na acampada "parte 3 das ferias" , aquela família do Emerson e da Elisabete tem esta barraca e ela é bem bacana .... está sala que fecha é sensacional .... colocamos todas as nossas coisas ali dentro  fechamos e ficamos tranquilos .
Como diz um casal de amigos , nossa varanda Gourmet.
Fomos na Decatlon do Morumbi explicamos a situação , e prontamente o pessoal da loja resolveu nosso problema , dando razão ao marido e nos foi dado um vale compra no valor da nossa barraca , então trocamos pela casinha nova, pagando apenas a diferença de uma para a outra.
Adquirimos algumas outras coisinhas , impossível ir lá e sair sem nada.
*Pontos positivos da barraca , a "sala" que tem uma lona como piso, o fechamento da sala que nos da maior segurança , sem contar que ficamos em pé nela.
Já pegamos chuva forte com ela , e como a outra da Quechua , não entra nada de água.
*Pontos negativos da barraca, o quarto na minha opinião é menor que o da T4 Essential, marido acha que não .... então melhor não descordar , o tecido do quarto é muito claro , e achei que ela não ventila muito.
Sei , que estou reclamando demais da casinha , mais como a gente nunca esta satisfeito com nada , já estou de olha numa mansão.

Casa nova

Mais sinceramente falando , nossa barraca é top , para nossa família está de um bom tamanho, mesmo porque as crianças vão crescer ... e provavelmente não irão mais nos acompanhar. 
Sem contar que nossa Iglu de 4 pessoas tá la coitada largada num canto qualquer , doidinha pra ser usada .Ainda temos muitas coisas para aprimorar nas nossas tralhas de acampamento, mais devagar a gente chega lá.
E continuamos , Por Ai de Barraca ....

Forte abraço

Aline





sexta-feira, 24 de abril de 2015

Carnaval 2015, Camping Tia Lola ....

E ai , que nossas férias de Janeiro de 2015 acabaram , mais nosso gosto pelo campismo não .
E passamos os dias com gostinho de quero mais e já nos programando para o Carnaval , que coincidentemente também seria aniversario do maridão , Sr. Marcos .
Então unimos o útil ao super agradável, e com bastante antecedência , começamos os preparativos para acampada de carnaval.
O destino já escolhido antes mesmo de partimos do tia Lola em janeiro , já tínhamos a certeza que voltaríamos no carnaval .
Viramos fãs de carteirinha deste lugar , amamos a Barra do Una .
Destino escolhido, tralha arrumada , no sábado de carnaval 14/02/2015 partimos rumo a Peruíbe por volta das 14:00 hs , pois marido trabalhou neste dia .
A viagem transcorreu normalmente sem transito, sabíamos que a previsão do tempo não era das melhoras , mais para nós o que importava mesmo, era poder armar nosso acampamento e curtir este carnaval no sossego e na natureza.
Chegamos em Peruíbe por volta da 16:00 hs , mais como era sábado de carnaval e estava tendo carnaval de rua , todos os acessos para chegar a estrada do Guarau , que nos levaria a Barra do Una , estavam fechados , ali pegamos um transito infernal , sem contar que São Pedro foi muito legal e resolveu mandar uma chuva brava , para acalmar os ânimos dos foliões.
Depois de muito rodarmos por Peruíbe , conseguimos chegar a estrada , mais com a chuva que caia , não se enxergava um palmo diante do  nariz , como já mencionei ,esta estrada é cheia de curvas e ali o medo me pegou  e cheguei a cogitar a volta para São Paulo.
Mais meu marido alem de muito paciente , também é um cara super otimista e para ele na Barra do Una estaria o mar sol e céu azul , doce ilusão .
Passado o Portal da Jureia , alguns kilometros a frente já na estrada de terra , pessoal que conhece o lugar diz que ali no "Barro Branco" , a estrada tinha virado um rio.
Então o negocio era parar ali e esperar a água baixar para chegarmos ao nosso destino. que espera sem fim , eu com duas crianças no carro  estava apavorada.


                       "Foi um rio que passou em minha vida , e o meu coração se deixou levar ....."

E a espera foi longa , chegamos neste ponto por volta das 17:00hs e ficamos ai ate por volta das 22:00hs, que situação , fome , frio , vontade de ir ao banheiro , sem contar os pernilongos , borrachudos e todos os afins nos comendo vivos literalmente.
Mais em toda aventura sempre tem uns doidos , e alguns carros que também estava ali , começaram a passar , alguns deram sorte outros ficaram  no meio do caminho.
Até que chegou uma hora que ou a gente passava , ou a gente voltava pra trás , não ia passar a noite na estrada com as crianças.
E alem de paciente , otimista meu marido também é um cara corajoso e tacou-lhe o pau no corsinha no meio daquela aguaceira, eu rezando as crianças enlouquecidas com o carro andando na água,  graças a Deus passamos , mais a placa do nosso carro ficou.
Na estrada teve outros pontos alagados , mais que foi mais tranquilo passar.
Depois , o paciente, otimista e corajoso pescador me falou que ficou com medo pois a água encobriu o capo do carro e ele pensou que não conseguiríamos passar.
Chegamos no Tia Lola perto das 23:00hs.
Depois de quase 9 horas de viagem , o Camping estava lotado ,e alagado , e para achar um cantinho para montarmos nossas coisas? , a noite foi bem desgastante , enfim , barraca armada, coisas mais ou menos arrumadas , fomos descansar e esperar que o dia seguinte fosse melhor.
No Tia Lola nestas épocas de Carnaval e ano novo , tem uma banda que toca vários estilos musicais e o baile de carnaval rolou solto até a uma da manha , pessoal bem animado , mais estávamos mortos e fomos para nossa casinha dormir.
Debaixo de uma baita chuva , mais desta vez , gracas a nossa Quechua T4 essential , não entrou nem uma gotinha de água.E como é bom o barulhinho da chuva caindo na barraca.
O domingo de carnaval 15/02, aniversario do marido ,  amanheceu nublado, mais ainda tínhamos esperança das coisas melhorarem , andamos pelo camping , conversa aqui ali , trocando experiencias.
Fizemos nosso almoço na barraca , que ficou muito bom.
Por volta das 14:00hs ,começou o maior temporal e o negocio foi , entrarmos para casinha e esperar passar , o que não aconteceu , choveu 7 horas seguidas.
Mais nossa barraca aguentou bravamente, passada a chuva , fomos fazer nossa jantinha , arrumar as coisas que estavam todas molhadas fora da barraca , e curtir um pouco o baile de carnaval que rolava  no bar do camping, aproveitar e comemorar também os 36 anos do Marcos que chegara ali naquele dia chuvoso.
Já tinha falado para o Marcos , que se a segunda feira amanhecesse com chuva , que seria melhor levantarmos acampamento , pois não poderíamos correr o risco de irmos na terça feira e pegar alagamento na estrada de novo, marido teria que trabalhar na quarta feira.
E foi o que aconteceu , na segunda feira , São Pedro deu uma trégua na chuva ,  mais o tempo não dava indicio nenhum que abriria , conversamos com o pessoal do Tia Lola que nos disse que provavelmente a semana inteira ficaria ruim .
E não só nós , mais a maioria do pessoal que estava acampado resolveu partir.
Arrumamos nossa tralha , ajeitamos no carro, e foi o tempo de tudo estar guardado que a chuva voltou.E literalmente nos expulsou da Barra do Una , desta vez sem mar , sem sol, e muito menos céu azul.
Voltamos para São Paulo na segunda feira de Carnaval , com gostinho de quero mais , afinal nosso paraíso estava triste e cinzento.
Mais valeu , pela experiencia , pela convivência com minha família , nas acampadas ficamos mais juntos, coisa que normalmente não acontece , cada um no seu mundinho , celular , tablet,
computador , afazeres de casa enfim , ali na Barra como já falei , não tem nem telefone que dirá internet. Acho que tirando a beleza e o sossego do lugar , esta é uma das coisas que nos fez gostar e voltar ali. Vi uma vez em minhas pesquisas a campings a seguinte mensagem "Não temos Wi Fi , conversem entre vocês", achei sensacional .
E mais uma vez aprendemos uma lição , que não importa aonde estamos , o importante é estarmos juntos,



                                                                    Nós , na barraca


                                                          Giovanna , a fotografa perfeita .


                                               Tomara que chove 3 dias sem parar , Alalaoooo....


                               E já que não deu praia , o negócio é brincar de Selfie dentro da barraca
                                                         

                                               Jantinha , com as crianças super animadas



                                                Satan , figura lendária do Camping da Tia Lola


                                                                             Banda


                                                   Baile de Carnaval , debaixo de chuva


                                                    E eu to voltando pra casa , outra vez ......

E apesar dos perrengues , das nossas acampadas , vale muito a pena , e estamos sempre querendo mais .... E se perguntarem por nós ?

Forte Abraço

Aline


quarta-feira, 22 de abril de 2015

Parte 3 , Férias de janeiro de 2015.

Chegamos em São Paulo , numa quarta feira ensolarada e com mais alguns dias de férias , colocamos nossas coisas no sol que fazia naquele dia e começamos a nos questionar , Por que não?
Por que não voltarmos para Barra do Una , para o Tia Lola .
Porque não temos uma barraca descente (me desculpe Igluzinha), por que nosso carro ta amassado, e um funileiro não o concertaria do dia pra noite.
Porque temos que resolver tantas coisas por aqui , lavar as roupas que estavam todas molhadas , fazer compras enfim , não era pura e simplesmente voltar .
Mais como já disse por aqui meu marido Sr. Marcos é um ser muito paciente , e não aceitou a minha negativa como resposta.
Vou confessar que lá no fundinho minha alma ansiava por voltar ao paraíso , mais naquele momento a razão falava mais alto , afinal de contas não poderia expor mais uma vez meus filhos.
Na insistência do marido, falei para ele , qu se ele arrumasse uma barraca que não entrasse uma gota de água, voltaríamos.
E tinha o carro também , que teríamos que trocar algumas coisas como o farol e dar uma puxadinha  na frente , no capo.
Para nossa sorte o Marcos tem bastante conhecimento nesta área de carro , e logo arrumou um funileiro que daria o famoso jeitinho no carro.
Nesta altura tínhamos 24 horas , para arrumar tudo inclusive a barraca e partir , marido queria sair na sexta feira dia 16/01/15 bem cedo.
Levamos o carro no funileiro e marido deu seu jeito é arrumou uma barraca muito melhor, Quechua T4 essential. Que era suficiente para dar o mínimo de conforto para as crianças.
Quechua T4 , Essential , Substituta da Iglu 04 pessoas .
"Como diz nosso amigo Emerson , a Quechua vai dominar o mundo."

A euforia naquele momento já tomava conta de nós, o que precisaríamos levar para esta nova acampada , afinal a coisa começava a tomar uma nova proporção.
Fizemos uma lista , e fomos arrumar as tralhas , e aja tralha .
O que levar para fazer de comida?, como cozinhar ?,  muitas dúvidas pairavam... Mais naquela altura nada nos abatia e queríamos partir o mais rápido possível e assim na manhã do dia 16/01 sexta feira,
48 horas após nosso regresso,   mais uma vez partimos rumo a Peruíbe desta vez leves e felizes curtindo cada km da estrada...
Chegamos no Tia Lola,  e desta vez depois daquela tempestade mais ou menos já sabíamos os pontos críticos do camping que enchiam de água,  apesar da boa drenagem. 
Local estrategicamente escolhido,  fomos montar nosso acampamento desta vez com se deve,  com direito a lona em baixo e em cima da barraca.
Mesa , churrasqueira  e panela de arroz elétrica ,ali a brincadeira começou a ficar séria.


   Estrutura um pouco melhor.

Nesta nova acampada , fizemos amizade com uma outra família , simplesmente incrível e mais uma vez fomos acolhidos . Apesar da nossa estrutura muito melhorada , Emerson o Pai da família , também pescador , Elisabete a Mãe da família , João Pedro filho deles e o Erick "Filho , postiço ", pessoas sensacionais que nos abraçaram ali , vizinhos de barraca ,Conversas sem fim , risadas sem fim , comidinhas sem fim , mais uma grande amizade que fizemos ali no Tia Lola , passamos mais 4 dias de sol e céu azul , que não precisávamos de mais nada.
Com esta família aprendemos muito , de outras culturas e trocamos algumas experiencias , que vamos levar para a vida .
As crianças se divertiram demais , brincaram muito , sensação de liberdade , contato com a natureza, coisa que na minha infância não tive.
Meus filhos terão historias para contar , e como amam esta vida "nômade" como somos entitulados.
Mais posso afirmar com toda certeza , que não trocaria está vida , livre , leve e solta.
Mais do que isso, aprendi uma coisa neste pouco tempo de camping , uma palavra que está esquecida no mundo moderno , "SOLIDARIEDADE".
Deixo registrado um pouco das nossas ferias de janeiro parte 3, desta vez , sem perrengues , sem chuvas, sem apertos , mais com muita historia pra contar.
  
                                               
                                                                           De casa nova
                                                       

                                                                    Piscina Natural , água da bica


                                                                             Peixinho pro jantar


                                                                      Delicia de sorvete e de criança



                                                                    Por do Sol na Barra do Una .

E se alguém perguntar por nós.....?

   
Forte abraço 

Aline 

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Ferias de Janeiro de 2015, Parte 2.

E depois das nossas férias frustradas , parte 1 , seguimos em direção ao desconhecido mais uma vez , está tal Barra do Una nem o GPS conhecia.
Perguntando aqui e ali , até que nos informaram que tínhamos que pegar a estrada do Guaraú , quem conhece a região sabe como é esta estrada. Em meio a muitas curvas perigosas um visual sensacional do mar de Peruíbe , um céu azul que eu nunca tinha visto nada igual , parecia que vinha nos agraciar e nos dizer que nem tudo está perdido.



                                            Vista da estrada do Guaraú , rumo a Barra do Una.

Ate então o celular ainda tinha sinal , bem como a internet , e fizemos uma pesquisa rápida no site do Macamp , dos campings daquele lugar.
E depois de muito sobe e desce , chegamos ao Portal , ali fomos informados que teríamos que percorrer ainda mais alguns bons Km até chegarmos a Barra.
A estrada não é das melhores diga-se de passagem mais o visual é compensador, e como diz o
Sr. Marcos , o paciente pescador "tem que ir na manha do gato",
No Portal da Jureia , temos que dizer nosso destino , afinal trata-se de uma Reserva Ecológica e o negocio é bem certinho.


                                                                      Portal da Jureia .

Quase 11 Km , depois do Portal e de quase 01 hora de carro nesta bendita estrada, chegamos ao que chamamos de nosso lugar ao sol.
Barra do Una , um lugar tranquilo , com uma vila de pescadores , alguns campings , no qual demos a sorte de escolher o da Tia Lola , ultimo camping perto do Costão. Praias paradisíacas , areia branca , água cristalina, que por alguns momentos nos esquecemos que estamos no litoral de São Paulo.
Vale ressaltar , que na Barra do Una , não tem sinal de celular , comunicação ali ou é pelo orelhão que tem dia e horário para funcionar, ou pagando 2 reais na pousada de uma tiazinha e  fazer ligação a cobrar .
A nossa acolhida no camping da Tia Lola, dispensa comentários, tanto os donos Dani e
Sr. Tsuyoshi quanto os funcionários , Eliete , Nubia e tantos outros nos receberam incrivelmente
bem , estávamos no quintal de casa .
Com nossa experiencia zero em acampamentos , carregando no  carro amassado , a barraquinha Iglu 04 pessoas , um colchão de ar e um colchonete , pra nossa primeira acampada teoricamente falando , faltava muitas coisas , que fomos descobrir mais tarde.
Mais a ânsia de curtir as ferias e esquecer o que nos tinha ocorrido no dia anterior falava mais alto.
No camping da Tia Lola , tem uma lanchonete que fornece refeiçoes (almoço) , porções e lanches, então estava resolvido o quesito alimentação.
O camping é bem grande e fomos procurar um lugarzinho para montarmos nossa barraquinha, lugar escolhido,  barraca montada , bora curtir a paisagem aproveitar aquele dia incrível.
Este mundo de camping me fascinou pelo simples fato que as pessoas se ajudam muito , sem ao menos se conheceram , no mundo que vivemos hoje isso é muito difícil , pois as pessoas estão  individualistas e pensando somente em si.
Montamos a nossa barraca ao lado de um chale , no camping da Tia Lola eles disponibilizam de 2 chalezinhos. E em um dos chales conhecemos uma família , que também nos acolheu como se fossemos da família deles, Márcia , Alexandre e Xandão ,figuraça .
O Alexandre o pai desta família nos contou que acampa no Tia Lola há mais de 26 anos conhece tudo ali na região inclusive os ventos de chuva .....
A Márcia super mãezona , e uma cozinheira de mão cheia diga-se de passagem , vendo nossa situação ali meio que improvisada , com duas crianças, sempre nos chamava para fazer as refeiçoes com eles .
Por sua vez esta família também pesca , e o Sr. Marcos "o pescador" se encantou ainda mais com eles.
Passamos 03 dias super agradáveis , muitas conversas, boas risadas , e sempre que anoitecia confesso que me apavorava um pouco com medo da chuva, que diga-se de passagem acredito que seja o maior medo dos campistas amadores como eu.
Indagava o Alexandre a cada 5 minutos em relação a direção do vento , pois se o vento viesse não sei da onde não chovia , mais se o vento virasse chovia ..... Ate hoje não sei da onde vem o vento que chove , pois na noite que choveu não tinha nem um fiozinho de vento ..... Tudo assustadoramente parado.
E foi nesta noite, terceira noite da nossa acampada , que nada se movia , que o verdadeiro espirito campista nasceu e cresceu em nós.
Nossa brava barraquinha Iglu 04 pessoas ,300 mililitros de coluna d"água, que ate então eu não sabia o que era isso , resistiu bravamente aos primeiros 60 segundos de uma tempestade torrencial...Entrava água por cima , por baixo , pelos lados , sem contar que a está altura do campeonato o vento que até minutos antes não existia , dentro daquela barraquinha parecia que estávamos enfrentando um tornado.
Marido pedindo calma , Giovanna minha filha do meio de nove anos desesperada , com medo dos raios , o pequeno e valente Enrico de 03 aninhos curtindo muito e pulando no colchonete todo molhado, e eu sentada no colchão de ar ensopada me perguntando o que eu estava fazendo ali .
Foram alguns minutos de chuva forte , que literalmente alagou nossa pequena barraca ,quando a chuva diminuiu já era alta madrugada , então pegamos as crianças e entramos no carro para esperar amanhecer e contar o prejuízo.
E foi o que fizemos , as 06:00 da manha do dia 14/01/15 , depois de passarmos 3 dias maravilhosos , levantamos nosso acampamento todo ensopado , e voltamos para selva de pedras no nosso carro  amassado.
Mais com o espirito e as forças renovadas.E com a certeza de que aquele universo campista era sim para nós .


                                                       Barra Do Una , Jureia , Peruíbe


                    Vista do Camping da Tia Lola , Azul do céu e Azul do mar que eu nunca vi nada igual


                                                              A famosa Iglu 04 pessoas
                                                         
                                                       
                                                               Praia incrível , e Costão

 
                                                                      Vista do Costão.


                                                                 Camping Tia Lola


                                                                         Rio Una
                                             
                                                                   
                                                                           Giovanna

                                                     
                                                                             Nozes

                                                                   
                                                               Giovanna , na barraca
                                                                     

                                               Sr. Marcos , o paciente pescador , Rio Una


                                                           Pequeno e destemido Enrico

Deixo registrado mais um de nossos perrengues , mais sempre com gostinho de quero mais , e Se Alguém Perguntar Por Nós ?

Aline Raja

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Férias de Janeiro de 2015, parte 1.

E enfim chegou as nossas tão esperadas férias de 2015 .....
Reservei um hotel na Ilha Comprida e partimos , não conhecia a Ilha , a expectativa era grande em chegar logo no lugar e curtir cada segundo debaixo do sol escaldante de janeiro , o mar , a brisa , enfim ...
Deveríamos fazer o check in no hotel , no domingo dia 11/01/15 , mais meu marido Sr. Marcos , com sua paciência de pescador na ânsia de se jogar logo nas suas ferias  , resolveu antecipar nossa viagem em 1 dia , sábado a tarde partimos sem ao menos termos onde passar aquela noite .
Nossa barraquinha Iglu 4 pessoas no porta malas do carro, pois pretendíamos passar 2 dias em algum Camping em Cananeia .
Chegamos na Ilha por volta das 18:00 horas , arrumamos um pousadinha para pernoitar e fomos para a praia ....as crianças não se cabiam em si , e nós doidos para colocarmos o pé na areia e sentir a brisa do mar no rosto e a sensação de estarmos livres , livres de tantos problemas e de tanto trabalho que nos assombraram em 2014 .
Depois de devidamente instalados e banhados, a fominha bateu e fomos andar na cidade conhecer o lugar e fazer uma boquinha .... Afinal nossa tão sonhada e esperada férias estava só começando.
Doce ilusão a minha, esperando parados para entrar numa rua , fomos literalmente atropelados por uma moto que surgiu do nada e em alta velocidade , acabando com a frente do nosso carro, naquele momento vi minhas ferias indo por água abaixo , por que toda aquela empolgação acabou ali naquele minuto , algumas horas depois de chegarmos a Ilha Comprida , graças a inconsequência de terceiros .
O carro todo amassado , o motoqueiro que estava errado todo lascado e ainda querendo que arcássemos com o seu prejuízo , Marido, o paciente pescador prestes a infartar, as crianças em panico chorando , e eu tendo que ter toda a calma do mundo para tentar contornar a situação.
Motoqueiro sem documentos , moto sem placa , enfim tudo super certo.
Socorremos o motoqueiro , que graças a Deus só tinha machucado o pé.
Voltamos para a tal pousada já tarde da noite , frustrados por tudo aquilo eu com medo achando que o tal motoqueiro pudesse vir atras da gente na tal Ilha , pois não seria difícil achar uma família num carro amassado ,  totalmente em panico decidi que nossas ferias acabara ali , sem ao menos ter começado.
E na manhã do dia seguinte 11/01/15 , domingo dia que deveríamos estar chegando , Partimos de volta para São Paulo.
Com sensação de derrota, mais como cremos que o melhor sempre está por vir,no meio do caminho na BR 116,  segundo sr.Marcos tem uma saída que nos levaria a Peruíbe.
Com esta história de Camping em uma de minhas pesquisas tinha visto um lugar chamado Barra do Una em Peruíbe ,e que gostaria de conhecer,  então mudamos nosso destino e fomos De Barraca, Iglu 04 pessoas, para está tal Barra do Una.
Mais isto é história para um outro post.
PS:Não tiramos nem uma foto sequer na Ilha Comprida.... Não deu tempo.
Mais com tudo aprendemos uma lição, Que não adianta fazer planos,  quando a vida tem outros planos para a gente.




Forte abraço

Aline



quarta-feira, 8 de abril de 2015

Como Tudo começou......

E assim nasceu uma Paixão , e a vontade de registrar nossas aventuras .
Inventamos de comprar uma barraca , tipo Iglu , de 4 pessoas para eventualmente passarmos a noite em algum pesqueiro , pois Sr. Marcos adora uma pescaria , e eu como "boa" esposa resolvi o acompanhar ....
Assim as crianças iriam se divertir também. 
Depois de me encher de coragem .... e uma longa preparação em uma tarde chuvosa de dezembro, partimos rumo a São Pedro , interior de São Paulo ..... Pesqueiro Castelinho , Crianças e marido empolgadíssimos e eu pensando como passaria a noite em uma barraca ? 
Devidamente instalados , barraca e tralhas de pesca armadas .... Marido se jogou na pesca e u fui refletir sobre tudo aquilo que estava acontecendo .....
Como eu chata e medrosa  que ate então eu  era me submeti a uma "aventura " daquelas ?
Pra ser sincera , não foi a melhor noite da minha vida , mais ela passou , e com ela surgiu um lado aventureiro que eu não sabia que tinha .
Frescuras deixadas de lado ,  fomos curtir um domingo de sol que não lembrava em nada o dia que antecedera.                                      
E desde então passamos a nos aventurar ,Por Aíiii , De Barraca !!!!!!

                                       

                                          Primeira barraca , experiência em acampamento O.
                                 
                                   


                                                                    Primeira pescaria .



                                                          Primeiro peixe a gente não esquece.

Ferias Janeiro 2016- Parte II Ubatuba

Passamos 03 dias em Trindade , o lugar é maravilhoso , a Vibe é incrível , mais o Camping deixou muito a desejar . Então em comum acord...